Neste dia 13 de maio é celebrada a Abolição da Escravatura, quando a princesa Isabel assinou a Lei Áurea libertado os escravos e dando início a uma nova para a humanidade.

Para retratar este momento no mundo das artes, escolhemos a composição histórica A Libertação dos Escravos, obra do pintor brasileiro Pedro Américo. O que muitas pessoas não sabem é que quando se deu tal acontecimento, Pedro Américo pintaria uma tela monumental sobre o tema, mas a quase que imediata proclamação da República mudou seus planos. Assim, o que vemos na imagem é apenas o esboço do trabalho que seria feito pelo artista, onde figuras alegóricas, em semicírculo, tendo ao redor uma construção clássica, que ocupa o fundo da tela, repassam a impressão de uma arena antiga.

No centro da pintura encontram-se dois escravos ajoelhados diante da figura alegórica que representa a Liberdade. De braços abertos, ela parece abençoá-los. Um garotinho negro está próximo ao grupo, de cabeça baixa, sentado no chão. Às costas do grupo, o demônio, símbolo da escravidão, encontra-se caído e morto.

Na parte superior da tela está a alegoria alada da Vitória, acompanhada dos gênios da Música e do Amor. Uma grande cruz marca o lado direito, ao alto, envolta por anjos com vestes bancas. Sentada em um trono, com um manto verde e murça amarela, uma alegoria traz um cetro na mão. Possivelmente trata-se da figura da princesa Isabel, responsável por assinar a Lei Áurea.

As figuras de várias mulheres estão presentes no quadro, assentadas ou de pé.

Ficha técnica
Ano: 1889
Dimensões: 138,5 x 199 cm
Técnica: óleo sobre tela
Localização: Acervo dos Palácios do Governo do Estado de São Paulo, São Paulo, Brasil

Close