Para comemorar os 130 anos de aniversário de Cora Coralina (20 de agosto), o museu que leva o seu nome revela ao público poemas inéditos. As folhas amareladas guardadas em caixas são do final da década de 1950, quando a escritora voltou de São Paulo para viver em Goiás.

O material inédito encontrado pela equipe está guardado numa sala do museu. É um acervo riquíssimo, repleto de anotações feitas à mão pela poetisa em cadernos. São relatos do dia a dia, receitas e poemas.

Cora só lançou o primeiro livro aos 76 anos. O reconhecimento veio quando Carlos Drummond de Andrade recebeu um livro de presente e escreveu um artigo enaltecendo a obra da poetisa goiana.

Reveja o programa especial que o Conhecendo Museus fez no Museu Casa de Cora Coralina (R. Dom Cândido, 20 – Centro, na cidade de Goiás)

Close