imgCheia de cores e ritmo, a cidade do Rio de Janeiro mostra toda a sua beleza de diversas formas. Na música, na arte, na cultura de rua, nas conversas do dia, podemos encontrar diferentes formas de homenagear a Cidade Maravilhosa.

Para o público acompanhar um pouco dessa representatividade toda, o Museu Histórico Nacional apresenta a exposição “Quando o mar virou Rio”. São 130 obras de 25 artistas, entre gravuras, fotografias, instalações e pinturas, organizadas em nove temas que resgatam a história da relação dos moradores do Rio de Janeiro com a praia.

Uma parte significativa dessa coleção veio de acervos: 11 artistas e 24 obras são do próprio Museu Histórico Nacional; 26 obras das coleções dos fotógrafos Augusto Malta (1864-1957) e Alair Gomes (1921-1992) pertencem à Biblioteca Nacional; e há mais 5 imagens do Augusto Malta que compõem o acervo do Museu da Imagem e do Som (MIS).

A mostra apresenta parte da história dessa cidade, conhecida no mundo inteiro como Rio, mas que tem uma trajetória tão entrelaçada ao mar que a sua própria identidade está vinculada à imensidão da água salgada, ao sol, à areia e tudo que pertence a esse ambiente. Tudo isso num mesmo gingado que a gente que se mete nessa geografia acaba adquirindo.

Você pode conferir “Quando o mar virou Rio” até o dia 28 de maio, no Museu Histórico Nacional, localizado na Praça Mal. Âncora, s/n – Centro – Rio de Janeiro/RJ.

Close