A exposição Farnese de Andrade – Memórias imaginadas, em cartaz até o dia 4 de agosto, no Museu Nacional da República, ganha o destaque do público pelo trabalho brilhante deste artista mineiro, que ficou muito conhecido pelos objetos carregados de símbolos que costumava construir.

A exposição reúne cerca de 70 obras, incluindo pinturas, desenhos e gravuras. Do conjunto apresentado, cerca de 35 trabalhos são bidimensionais, criações de diferentes períodos da vida do artista.

Ganham destaque as enigmáticas figuras femininas, para as quais o artista usava rapazes como modelos. Há ainda uma amostragem de gravuras e desenhos na qual se destaca Censura, obra responsável pela premiação de Farnese em 1970, no Salão Nacional de Arte Moderna (SNAM) – exposição organizada pelo então Ministério da Educação e Saúde e o Museu Nacional de Belas Artes.

Reunindo obras de coleções particulares do Rio de Janeiro, Bahia, Minas Gerais e Pernambuco, a exposição Farnese de Andrade – Memórias Imaginadas oferece ao público uma rara oportunidade para a apreciação de um conjunto integral da obra do artista, possibilitando um mergulho em seu mundo de fantasias construídas.

Farnese de Andrade – Memórias Imaginadas
Visitação até 4 de agosto, de terça a domingo, das 9h às 18h30, no Museu Nacional da República (Lote 02, SCTS próximo à Rodoviária do Plano Piloto) Abertura: Hoje (25 de junho, terça), a partir das 19h.

Close