Entre os dias 30 de junho e 1º de julho, a Casa Guilherme de Almeida vai promover, na capital paulista, o Encontro de Museus-Casa Literários. Em sua segunda edição, o evento tem como tema “A reconstrução da memória”, onde discutirá os modos como a memória ligada ao histórico e aos personagens vinculados aos museus-casas pode ser reconstruída no contexto presente de atuação das instituições.

Dentro dessa temática, o Projeto audiovisual Conhecendo Museus vai palestrar no dia 1º/7, às 18h30, na Sala Cinemathographos, sendo representado pela coordenadora executiva do projeto, Deborah Caroline.

Vale ressaltar que em sua 4ª edição, o programa mostrou de forma educativa e didática diversos museus-casas espalhados pelo Brasil, destacando a história de importantes personagens brasileiros e seus ricos acervos, convidando o público a estar cada vez mais próximos dos museus.

O objetivo do Encontro de Museus-Casa Literários é o de promover um espaço para trocas de experiências entre instituições que estejam relacionadas a personalidades da literatura ou cujo campo de estudos se associe a este segmento. É destinado a profissionais e estudantes das áreas de museologia, arquivologia, biblioteconomia, letras, artes plásticas, artes cênicas, história, sociologia, turismo e afins, bem como representantes da comunidade acadêmica e de instituições públicas, e de modo geral, a interessados em museus e cultura.

A programação conta com palestras, mesa-redonda e visita a museus-casa. Para mais informações, clique aqui.

 

Começou nesta segunda-feira, a #MuseumWeek. A mobilização por redes sociais vai até o domingo e é uma ótima oportunidade para você mostrar o seu dia a dia nos Museus e valorizar ainda mais os acervos riquíssimos que cada um deles têm.

Para cada dia, uma hashtag diferente. Abaixo, conheça os temas e como participar:

#FOODMW (Segunda-feira)

O convite é para mostrar exposições ou peças que estejam relacionadas com comida. Então, vamos lá … Criatividade!

# SPORTSMW (Terça-feira)

Tem alguma obra relacionada a esporte que tenha uma importância pra você ou então que você ache muito bacana?! Então, use essa hashtag especialmente para destacar o conteúdo.

#MUSICMW (Quarta-feira)

Sabia que o dia 21/6 é oficialmente comemorado o Dia da Música? Então, nada mais justo do que representar com esta hashtag objetos relacionados com um músico famoso, por exemplo, algum instrumento em exibição, fotografias de bandas, etc. Compartilhe!

#STORIESMW (Quinta-feira)

Quem não gosta de uma história de amor, não é verdade?! Compartilhe nas redes sociais histórias, coleções e obras de arte e saiba envolver os internautas \o/

BOOKSMW (Sexta-feira)

Quem tem livros têm a sua própria coleção, suas histórias. Que livros inspiram você? Tem livros na loja do seu Museu favorito? Com essa hashtag você pode fazer a sua selfie ao lado da biblioteca, do seu livro de cabeceira, e espalhar cultura e conhecimento por aí!

#TRAVELSMW (Sábado)

Muitos museus e coleções foram criados como resultado de viagens. Que obras chegaram aos museus trazidos por alguém que estava viajando? Compartilhe!

#HERITAGEMW (Domingo)

Celebrar e preservar o nosso patrimônio é um legado dos museus. São essas coleções que valoriza nosso passado e preserva nosso futuro. Comemore o patrimônio cultural usando essas hashtag específica.

Adendo especial: além de todo este conteúdo superimportante, a #MuseumWeek homenageia este ano todas as mulheres. Desta forma, o convite para usar a hashtag #WomenMW também é uma forma de valorizá-las. Diariamente você pode compartilhar conteúdos especiais dentro dos temas propostos acima.

Agora, é só usar a criatividade e promover nas redes sociais conteúdos culturais de segunda a domingo!

É isso mesmo! O Museu do Diamante lançou o “Projeto outros olhares”, onde vai expor em sua exposição virtual as fotos mais criativas tiradas pelos próprios visitantes.

Para participar, a pessoa deve registrar sua visita ao museu dando um título à sua própria obra. Após, é só enviar no máximo duas fotos para o e-mail md.educativo@museus.gov.br com seus dados e o título da foto.

As mais criativas vão integrar a exposição virtual no site e nas redes sociais do Museu.v

Viu só como é fácil?!

Com a maior diversidade de psitacídeos do mundo, o Brasil celebra a riqueza da sua diversidade em uma exposição temporária no Museu de Zoologia, em São Paulo/SP, chamada “Terra Papagalli”.

São 32 telas do artista Eduardo Parentoni Brettas. As obras constituem parte da rica iconografia que integra o livro Terra Papagalli, lançado pela Marte Editora em parceria com o professor Luís Fábio Silveira, um dos curadores da mostra.

A exposição permanece em cartaz no espaço de exposições da Reitoria da USP, na Cidade Universitária, entre os meses de maio e agosto de 2017.

Vale muito a pena conferir. O Museu de Zoologia está localizado na Avenida Nazaré, 481 – Ipiranga, São Paulo/SP.

O Museu do Café, em Santos, no litoral paulista, convida o público para visitar a exposição temporária “À Venda: propagandas de café em jornais e periódicos”, que foi inaugurada em dezembro de 2016 e vai até julho de 2017, promovendo uma verdadeira viagem no tempo.

A exposição apresenta materiais publicitários de empresas de café veiculados no início do século XX. São 81 anúncios publicados em São Paulo e no Rio de Janeiro, onde os visitantes podem conhecer diversas estratégias das marcas de café para atrair o consumidor, que foram desde pequenas notas a anúncios mais elaborados, publicadas entre as décadas de 1900 e 1950.

Também faz parte do roteiro de exposições temporárias, a mostra “Desconstruindo uma Epopeia”, que apresenta uma leitura crítica do vitral “A epopeia dos Bandeirantes”, de autoria do pintor paulista Benedicto Calixto e que está presente no salão do pregão do edifício da Bolsa Oficial de Café. A curadoria desfragmenta as informações da peça para que o público possa compreender melhor o processo de concepção por trás dessa obra de mais de 90 anos.

Um pequeno atelier cenográfico com mock-ups de ferramentas utilizadas pelos profissionais na confecção e restauro de vitrais, além de textos explicativos e imagens compõe a exposição temporária. É apresentada também cada parte do vitral separadamente, com análise de seus personagens, símbolos e figuras, com protagonismo para a parte central da obra, onde encontra-se Anhanguera e a Mãe d’Ouro, os maiores destaques e referências da peça.

Mas não para por aí: o Museu do Café também tem a exposição permanente que conta a história deste bem tão precioso para o nosso país, que está ligado desde a nossa economia até o lado cultural, que reúne a família mesa.

Programe agora mesmo a sua visita. O Museu do Café está localizado na rua XV de Novembro, 95 – Centro Histórico. Santos/SP. Telefone:  (13) 3213-1750.

A capital gaúcha recebeu, de 30 de maio a 3 de junho, o 7º Fórum Nacional de Museus (FNM), no Centro de Eventos da PUC-RS. Mais de 1200 pessoas entre museólogos, gestores, estudantes e profissionais da cultura estiveram presentes no evento compartilhando experiências e debatendo o tema “Recomendação Unesco 2015 para Proteção e Promoção dos Museus e Coleções”.

A programação contou com conferências, painéis temáticos, minicursos, grupos de trabalho e um espaço aberto com estandes com produtos de diversos museus. O espaço de mais de 5,6 mil metros quadrados foi dividido de forma que todos puderam se reunir em grupos e debater políticas públicas para a expansão dos museus brasileiros.

Sobre o evento, o presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), Marcelo Mattos Araujo, destacou: “O Fórum Nacional de Museus é um evento privilegiado de encontro de profissionais dos museus brasileiros. Nós temos cadastrados mais de 3600 museus. Além deles, nós temos muitos outros espaços de trabalho, de preservação de patrimônio como os pontos de memória, escolas de museologia, ou seja, o campo museal brasileiro é um campo hoje muito estendido e o Fórum Nacional de Museus é justamente esse momento privilegiado de encontro de todos esses profissionais, de estudantes, para avançarmos na reflexão sobre a museologia brasileira, sobre os museus e, principalmente, sobre as políticas públicas para os museus”.

Conferências

Ao todo, três conferencistas se reuniram com o público debatendo temas importantes para o cenário cultural. Entre eles, o belga François Mairesse falou na abertura do evento sobre o tema central abordando os principais avanços propostos pelo documento da Unesco e a adesão dos países ao projeto de apoio ao desenvolvimento dos museus.

O chileno Alan Trampe Torrejón, subdiretor Nacional de Museus da Direção de Bibliotecas, Arquivos e Museus do Governo do Chile e membro fundador do Programa Ibermuseus, se reuniu com o público no segundo dia e falou sobre a Valorização dos museus por meio da cooperação internacional e os 10 anos da Declaração de Salvador.

Na terceira e última conferência do 7º FNM, a diretora executiva da Fundação Europeana, Jill Cousins, tratou sobre Museus no século XXI: comunicação e formação de novos públicos, apresentando a experiência da formação da Europeana, um serviço de informação cultural online que integra coleções digitais de 180 instituições culturais da Europa.

Painéis

Durante três dias, o público se dividiu entre 9 painéis que reuniram representantes de museus e experiências brasileiras para apresentar e debater temas como programas educacionais, novas formas de comunicação e democratização de pesquisas realizadas em museus.

Diversos cases foram apresentados compartilhando com todos os participantes experiências criativas para de como promover exposições, superar desafios financeiros, de estrutura, valorização de seu acervo, entre outros temas.

Próximo Fórum

O Fórum finalizou com a leitura de proposições alcançadas durante os dois dias de reuniões de oito grupos de trabalho. Houve ainda a apresentação, discussão, votação e aprovação de 10 moções apresentadas pelos participantes do 7º FNM.

Já o 8º Fórum Nacional de Museus será realizado em 2019, na cidade de Fortaleza/CE.

Na Semana Mundial do Meio Ambiente, o Instituto Inhotim abre suas portas para uma programação especial de conscientização sobre o verde, sobre o nosso Planeta. Confira abaixo alguns destaques:

>> Mostra de sementes e mudas da Mata Atlântica e Cerrado

Durante toda a semana, o Inhotim exibirá uma mostra de sementes e mudas de ocorrência nos biomas mata atlântica e cerrado, considerados de prioridade em conservação em razão de suas elevadas ameaças de extinção.

A mostra será composta por mudas e sementes de diferentes tamanhos e formas de 10 espécies coletadas na Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) Inhotim que integra remanescente florestal de Mata Atlântica com encraves de Cerrado.

Data: 3, 4, 6, 7, 8, 9, 10 e 11 de junho de 2017

Horário: 10h às 16h (de terça a sexta-feira) e 10h às 17h (aos sábados e domingos)

Local: Estação Educativa para Visitantes (Centro de Educação e Cultura Burle Marx)

>> Visita Temática: Mudança do Clima e Biodiversidade

A visita propõe uma reflexão sobre a colaboração de Jardins Botânicos para a mitigação dos efeitos da mudança do clima, sensibilização e o engajamento da sociedade civil e políticas públicas sobre este assunto. O significativo acervo botânico de Inhotim será ponto de partida para as discussões, a partir do termo “glocal”.

Público: livre.

Observação: 25 vagas, inscrição no local a partir das 10h.

Data: 03 de junho a 30 de julho (quartas, sábados, domingos e feriados)

Horário: 10h30

Local: Saída da Recepção

Confira mais atrações na agenda do Instituto Inhotim, localizado no município de Brumadinho, em Minas Gerais.

 

 

Os Museus Castro Maya receberam 11 gravuras do mestre pernambucano Gilvan Samico (1928-2013), encaminhadas pela Secretaria da Receita Federal do Brasil, através do Instituto Brasileiro de Museus. As peças se juntam à obra criada pelo artista em 1992 especialmente para o projeto Os Amigos da Gravura que já fazia parte do acervo.

Os 12 trabalhos estão agora em exposição no Museu da Chácara do Céu. Nas obras, ficam patentes a maestria e rigor técnico do artista bem como sua potência criativa. Para a coleção Castro Maya é um grande privilégio agregar peças que vêm enriquecer seu acervo de arte brasileira.

O Museu fica aberto de quarta a segunda, das 12h às 17 e a mostra fica em cartaz até junho.

Serviço:

Período: de abril a julho de 2017
Local: Museu da Chácara do Céu. Rua Murtinho Nobre 93, Santa Teresa, RJ
(21) 3970-1093
www.museuscastromaya.com.br

Horário: diariamente, exceto terças, das 12 às 17h
Ingresso: R$ 6,00, gratuito às quartas

Fonte: museus.gov.br

 

A diversidade cultural estará representada no Museu da Imigração nos dia 4, 10 e 11 de junho. É isso mesmo! Vai ter música, dança, artesanato e gastronomia na tradicional Festa do Imigrante.

O evento é organizado há 22 anos pelo museu e resgata a história de milhões de pessoas que passaram pela antiga Hospedaria dos Imigrantes do Brás desde final do século XIX.

Você não pode perder! A programação está especial.

Dias 4, 10 e 11 de junho, das 10h às 17h.

Entrada: R$ 10,00 (e R$ 5 a meia)

Para comemorar os dez anos do Museu Nacional da República e os 57 anos aniversário da cidade de Brasília, a exposição “Mundez” reúne obras de grandes nomes da história da arte brasileira, como Di Cavalcanti, Tarsila do Amaral, Anita Malfatti, Heitor dos Prazeres, Alfredo Volpi, Cícero Dias e Rubem Valentim, em diálogo com artistas contemporâneos que inclui grafiteiros atuantes na cidade.

Já anota na agenda porque neste domingo, dia 4 de junho, é o último dia para visitar a Mostra, das 9h às 18h30. A entrada é gratuita.

O Centro de Eventos da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS), em Porto Alegre, receberá a 7ª edição do Fórum Nacional de Museus (FNM) entre os dias 30 de maio e 4 de junho de 2017.

Com 5,6 mil metros quadrados, o espaço multifuncional será adequado para receber conferências, painéis, minicursos, grupos de trabalho e programação paralela – como feira de artesanato e estandes com produtos que fazem parte da cadeia produtiva dos museus. Confira a grade de programação.

Além disso, no complexo da PUC-RS também está localizado o Museu de Ciências e Tecnologia da universidade – incluído entre os 10 melhores museus brasileiros em 2016, de acordo com premiação da plataforma TripAdvisor.

FNM 2017

Promovido pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), o Fórum Nacional de Museus 2017 reunirá estudantes, gestores e os diversos profissionais que atuam na área de museus sob o tema Recomendação Unesco: caminhos para museus e coleções. Saiba mais.

A participação nas atividades do FNM é gratuita – mediante entrega de 1 kg de alimento não perecível no ato de credenciamento. As inscrições online estão abertas até 26 de maio. A partir desta data poderão ser feitas durante o evento.

Mais informações podem ser obtidas pelo endereço eletrônico forumnacionaldemuseus@museus.gov.br ou pelo telefone (61) 3521.4112.

Texto: Ascom/Ibram

 

O Museu da Abolição recebe neste sábado, dia 27 de maio,  evento voltado ao debate e circulação de ideias em torno dos desdobramentos históricos da Lei Áurea, que foi sancionada em 1888 e aboliu a escravidão no Brasil. O objetivo é integrar movimentos sociais, estudantes, pessoas negras de diferentes faixas etárias, profissionais de diversos segmentos e todo público que tem interesse em conhecer melhor o tema e debatê-lo.

Com uma programação que inclui palestras, rodas de diálogo, shows e oficinas, “Abolição para Quem? Debatendo o 13 de maio” vai abordar questões relacionadas às condições sociais da população negra no Brasil pós-abolição.

A participação no evento é gratuita, sendo exigida apenas inscrição online. O Museu da Abolição está situado à Rua Benfica, 1150 – Madalena, em Recife (PE).

Close