Para celebrar os 57 anos da capital de todos os brasileiros, a Galeria de Arte do Templo da Boa Vontade recebe a exposição Missão Cruls, do Arquivo Público do Distrito Federal sobre os antecedentes de Brasília e a Comissão Exploradora do Planalto Central do Brasil, responsável pela demarcação do Distrito Federal.

A mostra traz um pouco da história do cientista, astrônomo e engenheiro belga Luiz Cruls, que chefiou, entre julho de 1892 a janeiro de 1893, os trabalhos de demarcação do Distrito Federal. Cruls foi designado pelo então presidente Floriano Peixoto a comandar a Comissão Exploradora do Planalto Central do Brasil a qual, após meses de pesquisa científica, escolheu e delimitou o espaço para mudança da capital brasileira do Rio de Janeiro para Brasília, que foi inaugurada décadas depois, em 21 de abril de 1960.

Visitação: de 3 a 30 de abril
Horário: todos os dias, inclusive sábados, domingos e feriados, das 8 às 20h.
Endereço: SGAS 915, Lotes 75/76 – Asa Sul, Brasília/DF
Informações: (61) 3114-1070 / 3114-1023

No próximo domingo, dia 30 de abril, às 14h, o Museu de Arte do Rio  presenteia o público com o MAR em Libras, uma visita mensal mediada em Língua Brasileira de Sinais, com o objetivo de tornar o museu acessível aos surdos!

Nesta edição, será realizada uma Conversa de Galeria na exposição “O nome do medo | Rio de Janeiro”, um programa para toda a família, onde todos vão poder compartilhar histórias sobre o medo.

Sobre a exposição

Para a realização da exposição “O nome do medo | Rio de Janeiro”, concebida por Rivane Neuenschwander, foram ministradas 12 oficinas, com duração de três horas, com mais de 240 crianças, entre 6 e 13 anos, na Escola do Olhar e na EAV Parque Lage.

As capas desenhadas e construídas durante as atividades ganharam um novo formato pelas mãos de Rivane e do fashion designer Guto Carvalhoneto, com acompanhamento de Lisette Lagnado (curadora).

A exposição está aberta para visitação até 9 de julho. O MAR está localizado na Praça Mauá, 5 – Rio de Janeiro/RJ.

Já imaginou perguntar para uma obra de arte curiosidades sobre ela mesma? Pois é! Essa é a proposta da exposição “A Voz da Arte”, que está em cartaz na Pinacoteca de São Paulo e que está ganhando a atenção do público. O projeto é uma parceria com a IBM e torna o passeio ao museu muito mais interativo. A iniciativa é inédita no Brasil.

Logo quando o visitante chega à recepção ele pega um kit que contém um smartphone Watson e um fone de ouvido e pode andar livremente no museu. Durante o percurso, receberá notificações quando estiver próximo de alguma das obras interativas. Toda a interação é realizada por voz, em português, e o sistema responderá perguntas sobre sete obras do acervo da Pinacoteca. Deficientes auditivos podem participar da experiência por meio de conversa escrita (chat).

“qual o contexto cultural desta obra?”; “quando você foi criada?”; “você gosta de jogar futebol?”; “qual o estilo de pintura foi usada nessa obra?”. Essas e outras perguntas já estão catalogadas em um banco de dados e as que não estiverem serão analisadas pelos curadores e responsáveis pelo projeto. A ideia é fazer com que o visitante converse com a obra, interaja de forma prática com ela.

A mostra fica aberta ao público até o dia 5 de junho. Aos sábados a entrada é gratuita para todos os visitantes. De quarta a segunda, das 10h às 17h30 (com permanência até as 18h). A entrada custa R$ 6 (inteira) e R$ 3 (meia). Crianças com menos de 10 e adultos com mais de 60 anos não pagam.

A Pinacoteca de São Paulo está localizada na Praça da Luz, 2.

Vem aí a 15ª Semana de Museus. O evento será realizado entre os dias 15 e 21 de maio em todo o Brasil.  Para esta edição já estão cadastradas mais de 3 mil atividades culturais em 485 cidades de 26 estados.

Centenas de eventos culturais e educacionais estão programados na agenda dos museus, com o objetivo de proporcionar ao público a reflexão, a discussão e a troca de experiências acerca do tema Museus e histórias controversas: dizer o indizível em museus.

A programação das atividades já está disponível para pesquisa.

Vale ressaltar que em 2016, pesquisa do Ibram mostrou que no período da Semana de Museus a frequência de público nas instituições participantes chega a aumentar 79% em comparação a semana anterior.​

O Museu de Arte Sacra em São Paulo realizará, no dia 13 de maio, uma palestra gratuita sobre o tema “Nossa Senhora dos Remédios e o Abolicionismo no Brasil (Século XVII-XIX), com a professora dra. Meyer Pinto Ribeiro.

A devoção a Nossa Senhora dos Remédios se iniciou no século XII, na França, dentro de um contexto de Guerra Santa, voltada para o exercício da misericórdia e para a libertação de cativos feitos pelos mouros, estimulada pela Ordem da Santíssima Trindade e Libertação de Cativos.

A partir de pesquisas realizadas na França, Espanha, Portugal e nos Arquivos Secretos do Vaticano, em Roma, além de levantamentos nos arquivos das Cúrias no Brasil, foram traçados os rumos desta devoção até sua chegada ao Brasil no século XVI pelas mãos de leigos e alguns frades. Também foi possível observar a reconfiguração desta devoção em solo brasileiro para a libertação de escravos índios e africanos, chegando ao seu apogeu na ação do grupo abolicionista paulista, os caifazes, no século XIX.

Quando: 13 de maio (sábado)
Horário: 14h às 16h
Atividade gratuita
Inscrições: http://museuartesacra.org.br/
Local: Museu de Arte Sacra de São Paulo
Endereço: Avenida Tiradentes, 676, Luz | Metrô Tiradentes
Alternativa de acesso: Rua Jorge Miranda, 43.

Como ter um olhar mais detalhado do conteúdo expressivo da arte?! Com esta proposta, o Museu Regional de São João del-Rei inaugurou a exposição Art’quitetura, da artista Ana Bello.  São mais de 14 obras feitas a partir de ilustrações de revistas, jornais, fotos, desenhos e croquis.

As obras foram feitas a partir de figuras cortadas ou rasgadas, distribuídas sobre um suporte laminado de superfície lisa, facilitando a colagem. Para o processo de criação foi necessária a atenção a harmonia de cores, formas e texturas para a distribuição harmoniosa. O trabalho de Ana distingui-se pela forma como vê o modo em que a arte se articula à sociedade.

A mostra quer evidenciar um processo artístico contemporâneo, de valorização da arquitetura e do design como uma linguagem artística, que, de uma maneira ou outra, trabalham numa engrenagem de funcionamento e estética.

O Museu Regional São João del-Rei está localizado na R. Mal. Deodoro, 12 – Centro, São João Del Rei/MG.

Dia 19 de abril é comemorado o Dia do Índio. A data lembra a importância do povo indígena e de sua cultura para a construção da nossa sociedade. E os museus espalhados por todo o Brasil estão com exposições em cartaz destacando — por meio de diversas representações artísticas — a história dos índios.

Museu Paranaense

Durante o mês de abril, o Museu Paranaense recebe indígenas da tribo Fulni-ô, do interior de Pernambuco, e abre a exposição “A Arte de Daniel Conrade: Povos Indígenas e Natureza” para celebrar o Dia do Índio.

Os indígenas Fulni-ô vêm à Curitiba divulgar sua cultura e artesanato. Os objetos e adornos, como colares, cocares e pulseiras estarão à venda no museu e a renda será revertida para a aldeia. Os índios estarão no Museu Paranaense nos dias 11, 13, 25 e 27 de abril, durante todo o dia; nos dias 19 e 30 na parte da manhã e no dia 2 de maio na parte da tarde.

A abertura da exposição “A arte de Daniel Conrade: Povos Indígenas e Natureza” será no dia 19 de abril, às 18h. Na mostra, os visitantes poderão conferir as pinturas do artista, que registrou com perfeição povos indígenas e a vegetação e a fauna da Mata Atlântica. Destacam-se os retratos dos amigos indígenas Mbyá-Guarani de Guaraqueçaba que compartilharam com Daniel seus conhecimentos sobre a arte tradicional. Também impressionam as imagens de tucanos, onças, periquitos e lobos-guará representantes da fauna paranaense.

Museu da Gente Sergipana

Até o dia 21 de maio, o Museu da Gente Sergipana apresenta a EXPO 360&5, que traz trabalhos autorais de cinco fotógrafos sergipanos com registros do olhar libertário e lírico de Brígida Barreto e que aborda a sutileza da nudez feminina somada à natureza.

Nas cores de Moema Costa, a beleza dos povos indígenas do Norte, Nordeste e Centro-Oeste do país também estão presentes na mostra.

 

Que tal curtir uma programação especial e cultural neste feriado prolongado?! Preparamos uma lista com diversas sugestões:

>> EM CURITIBA

MON terá oficina de brinquedos educativos no domingo de Páscoa

No domingo de Páscoa (16/04), o Museu Oscar Niemeyer (MON) vai oferecer uma atividade especial aos seus visitantes. É a oficina Playmais, com brinquedos educativos e sustentáveis. A atividade está programada para acontecer das 11h às 17h.

A entrada no MON custa R$ 16 e R$ 8 (meia-entrada). Maiores de 60 e menores de 12 anos têm entrada franca. A retirada de ingressos no museu pode ser feita até as 17h30, na bilheteria.

>> BRASÍLIA

Galeria de Arte do TBV recebe mostra sobre Missão Cruls

Para celebrar os 57 anos da capital de todos os brasileiros, a Galeria de Arte do Templo da Boa Vontade recebe a exposição Missão Cruls, do Arquivo Público do Distrito Federal sobre os antecedentes de Brasília e a Comissão Exploradora do Planalto Central do Brasil, responsável pela demarcação do Distrito Federal.

A mostra traz um pouco da história do cientista, astrônomo e engenheiro belga Luiz Cruls, que chefiou, entre julho de 1892 a janeiro de 1893, os trabalhos de demarcação do Distrito Federal. Cruls foi designado pelo então presidente Floriano Peixoto a comandar a Comissão Exploradora do Planalto Central do Brasil a qual, após meses de pesquisa científica, escolheu e delimitou o espaço para mudança da capital brasileira do Rio de Janeiro para Brasília, que foi inaugurada décadas depois, em 21 de abril de 1960.

Visitação: de 3 a 30 de abril
Horário: todos os dias, inclusive sábados, domingos e feriados, das 8 às 20h.
Endereço: SGAS 915, Lotes 75/76 – Asa Sul, Brasília/DF
Informações: (61) 3114-1070 / 3114-1023

>> EM SÃO PAULO

 

Castelo Rá-tim-bum no Memorial da América Latina

Se você está à procura de um passeio divertido para crianças e adultos, a exposição do Castelo Rá-Tim-Bum é uma excelente opção. Com a reconstrução do cenário original, os fãs terão a oportunidade matar as saudades e redescobrirem cada pedacinho desse lugar mágico, que há anos vem mexendo com a imaginação das crianças.

Onde: Memorial da América Latina
Quando: Até junho de 2017
Preço: Ingresso a partir de R$ 20

Yoko Ono no Instituto Tomie Ohtake

Até o dia 28 de maio, o Instituto Tomie Ohtake recebe a exposição “O Céu Ainda é Azul, Você Sabe…”, da aclamada Yoko Ono. Serão 65 trabalhos que revelam os elementos básicos da carreira da artista, sempre com forte engajamento político e social. Intituladas “Instruções”, as peças evocam a participação do público, questionando a ideia por trás de uma obra artística. Entre elas estão “Respire” (1966), “Sonhe” (1964), “Sinta” (1963) e “Imagine” (1962).

Quando: diariamente, das 11h às 20h
Onde: Avenida Faria Lima, 201 – Pinheiros
Temporada: até 28 de maio
Preço: R$ 12 (inteira) / R$ 6 (meia)

O Mercado de Arte Moderna de São Paulo

Celebrando os 100 anos do Modernismo, um dos movimentos artísticos mais marcantes da história do Brasil, o MAM apresenta mostra especial sobre o mercado da arte na São Paulo dos anos 1950. Estarão expostas obras de Tarsila do Amaral, Lívio Abramo, Victor Brecheret, Di Cavalcanti, Alfredo Volpi e outros. GRÁTIS AOS SÁBADOS.

Onde: MAM (Museu de Arte Moderna de São Paulo)
Quando: Sábado, das 10h às 17h
Preço: Entrada Gratuita

>> EM PORTO ALEGRE

A Fonte de Duchamp: 100 Anos da Arte Contemporânea

O Museu de Arte do Rio Grande do Sul tem o prazer de convidar para a exposição “A Fonte de Duchamp: 100 Anos da Arte Contemporânea”, com curadoria de José Francisco Alves. A mostra tem o objetivo de marcar os 100 anos de Fonte, obra icônica de Marcel Duchamp (1887-1968), considerada uma das obras de arte mais importantes do Séc. XX. A entrada é franca.

Onde: Museu de Arte do Rio Grande do Sul
Quando: até 23 de abril, de terças a domingos, das 10h às 19h
Localização: Praça da Alfândega, s./n.

 

A Semana no Cine Segall está com uma programação muito cult pra você. Até esta quarta-feira, dia 12, você pode acompanhar filmes para todos os gostos. Veja só:

EXPOSIÇÕES:

Além disso, você também pode acompanhar mais duas exposições que estão em cartaz no Museu Lasar Segall:

Liuba – esculturas e relevos (até 22/05/2017)

Esta exposição apresenta um conjunto de obras produzidas entre os anos 1960 e 1980, com ênfase nas peças da década de 1970. A seleção foi organizada objetivando a relação entre as características dos trabalhos e os espaços do Museu. Por isso, nesta mostra predominam as esculturas “verticais”. Com exceção da obra escultórica de Lasar Segall, exposta em 1991, é a primeira vez que o Museu abre os seus espaços para uma exposição individual e retrospectiva de esculturas.

Idas e Vindas | Segall e o Brasil (até 22/05/2017)

Esta mostra apresenta um panorama da produção de Lasar Segall, com enfoque especial na “Fase Brasileira” e seus desdobramentos, sem deixar de lado períodos e tendências importantes, como a sua produção inicial, fortemente influenciada pelo impressionismo e pelo período expressionista, até obras dos fins da década de 1950. A exposição conta também com objetos de seu ateliê e residência, bem como textos de autoria do artista, contextualizando cada período abordado.

 

A Pinacoteca de São Paulo apresenta ao público sua nova exposição de longa duração, que oferece uma leitura da formação da visualidade artística e da constituição de um sistema de arte no Brasil do período colonial até meados dos anos 1930, centrada nas obras que compõem o acervo da Pinacoteca.

A exposição possui 500 obras, entre pinturas, esculturas, desenhos, gravuras e fotografias, de autoria de artistas fundamentais para a história da arte brasileira daquele período, como Debret, Taunay, Facchinetti, Almeida Junior, Eliseu Visconti, Pedro Alexandrino, Candido Portinari, Lasar Segall, entre outros.

Programe sua visita! A Pinacoteca do Estado de São Paulo está localizada na Praça da Luz, 2 | São Paulo – SP. Telefone: (11) 3324 1000

Fonte: pinacoteca.org.br

memorial-minas-gerais-vale-01Já imaginou estar andando por uma exposição e um quadro falar com você?! Pois é, no Memorial Minas Gerais Vale isso é real!

Os quadros ganharam vida na sala Panteão da Política Mineira. Os personagens da Inconfidência Mineira apresentam a história desta revolução de forma lúdica e surpreendente.

E para celebrar o mês da Inconfidência Mineira, o Educativo do Memorial apresenta a ação “As Várias Faces de Joaquim”, que aproxima o público da história e da cultura do Estado e propõe uma reflexão sobre como os fatos são contados. As ações aconteceram todos os sábados e domingos de abril, ao longo do dia, com entrada gratuita.

Com certeza este programa não pode faltar na agenda cultural da sua família. Leve as crianças para uma verdadeira aula interativa sobre a nossa história.

O Memorial Minas Gerais do Vale está localizado na Praça da Liberdade, 640 – esquina com a Gonçalves Dias. Telefone: (31) 3308-4000. Belo Horizonte/MG.

Antigamente, visitar um museu fora do seu país ou até mesmo da sua cidade era possível apenas por meio de fotografia ou indo pessoalmente. Mas a tecnologia veio para aproximar ainda mais a informação de todos nós. E na cultura não é diferente.

A grande novidade é que o MASP agora faz parte da plataforma Google Arts & Culture, que permite o passeio de internautas por alguns de seus corredores e exposições em realidade virtual.

No total são mil itens do acervo paulistano que está disponível no site g.co/masp, assim como seis mostras. A digitalização e o zoom são tão perfeitos que permitem visualizar nuances normalmente difíceis de perceber, como o brilho nos olhos da garotinha em Rosa e Azul, de Renoir.

Ficou curioso?! É só acessar e curtir sentado aí mesmo do sofá \o/

Close