Com entrada gratuita, o Memorial da América Latina convida o público para conferir a mostra “Brasil, brasileiro”, um verdadeiro tour pelos principais pontos de manifestação cultural do país.

Peças do artesanato popular representativo de vários estados brasileiros dão um tom especial, com ênfase nas festas tradicionais e de cunho religioso que já estão enraizadas no imaginário coletivo regional e consagradas no calendário turístico do país.

Destaque para o bumba-meu-boi, o maracatu, as congadas, a festa do Divino, as vaquejadas, o forró, e, ecumenicamente, as imagens de santos populares e da devoção regional como Padre Cícero, Frei Galvão, São Longuinho, e os sacerdotes orixás do candomblé.

Venha conferir! A mostra “Brasil, brasileiro” está em destaque no Pavilhão, no Memorial da América Latina (Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664 – São Paulo/SP), com entrada gratuita para o público em geral, de terça a domingo das 9 às 18 horas.

Inaugurado em 1º de março de 2013, o Museu de Arte do Rio (MAR) conta a história da cidade maravilhosa por meio das mostras temporárias e permanente. O complexo inclui oito salas de exposições e cerca de 2.400 metros quadrados, divididos em quatro andares.

E para celebrar esta data especial, nos dias 29, 30 e 31 de março, o MAR irá promover uma programação especial. Nestes três dias, a entrada no museu será GRATUITA para todos.

Além das exposições em cartaz, o fim de semana comemorativo contará com show do rapper BK’, lançamento da Coleção Semear – Livros Puris, oficina de criação, conversa de galeria, entre outras atividades. Venha festejar conosco!

Confira a programação completa:

Sexta-feira, 29

11h às 12h – Ativação na exposição “A pequena África e o MAR de Tia Lúcia”, com Gisele de Paula

14h às 15h – Ativação na exposição “A pequena África e o MAR de Tia Lúcia”, com Gisele de Paula

15h às 18h – Conversa de Galeria com Leandro Vieira, Luiz Antônio Simas e Thais Bastos

18h às 22h – MAR de Música – BK’


Sábado, 30

11h – Bandeira Tia Lúcia

11h às 12h – Ativação na exposição “O Rio do samba: resistência e reinvenção”, com Guilherme Marins

14h às 17h – Oficina de Criação: stencil, com I Love M.P e os educadores do MAR Edmilson Gomes e Georges Marques

14h às 17h – Lançamento da Coleção Semear – Livros Puris


Domingo, 31  

11h às 12h – Ativação na exposição “Mulheres na Coleção MAR”, com Maria Rita Ribeiro

Após os grandes desafios enfrentados na cidade de Brumadinho/MG, o Instituto Inhotim mantém viva a chama da cultura valorizando, em cada espaço, a arte e os artistas locais, e também convidados.

Com uma programação especial para toda a família, o Inhotim está de portas abertas a todos. Veja, abaixo, a agenda para este mês de março e programe-se:

Ativação Recreio In Situ

A interação do público é parte dos ciclos de vária obras do nosso acervo. A origem da obra de arte (2002), da artista Marilá Dardot, é um convite para plantar sementes, palavras e sentidos.

Quando: 16, 23 e 30 de março (sábados)

Estação Educativa Itinerante

Para compartilhar experiências, descobrir trajetos e conhecer nossas práticas pedagógicas, essa ferramenta educativa propõe a ocupação dos espaços do Inhotim.

Quando: 20 e 27 de março (quartas-feiras), das 10h às 12h e das 14h às 16h

Mediação em Ponto – Spider

Aproveitando a inauguração da obra Spider (1996), da artista Louise Bourgeois, o Educativo Inhotim convida os visitantes para conhecerem o trabalho da artista, assim como seu simbolismo.

Data: 02 a 31 de março (quartas, finais de semana e feriados
Horário: 10h às 12h e 14h às 16h (o mediador estará disponível na galeria durante o horário mencionado)
Local: G1 – Galeria Mata

Entre as exposições permanentes presentes no Museu Paranaense, destaque para “Dinheiro e Honraria: o acervo de numismática do Museu Paranaense”, instalada no térreo fazendo um primeiro convite para o visitante conhecer tudo o que o local oferece.

Cerca de 600 objetos, entre moedas, cédulas, medalhas, condecorações, fichas, jetons e outros itens relacionados, fazem o visitante conhecer parte do acervo de numismática do Museu Paranaense, originado, principalmente, das coleções David Carneiro, Vladimir Kozák, Julio Moreira, Erasmo Pilotto e Banestado.

Além de cédulas e moedas de vários países e épocas diferentes, estão expostas medalhas do Brasil e do estrangeiro, com várias cunhadas no Paraná. Há também vitrines especiais em homenagem a Julio Moreira, diretor do Museu Paranaense nos anos 1960; a Dom Pedro II; a José Peon, artista na cunhagem de medalhas no Paraná; e ao Banestado, cujo acervo foi incorporado ao Museu Paranaense.

Há um destaque para diversas condecorações especiais do Império Brasileiro, de Portugal, Turquia, China e de outros países.

MUSEU PARANAENSE
Rua Kellers, 289 – São Francisco – 80410-100 – Curitiba – Paraná
Fone: 41 33043300
www.museuparanaense.pr.gov.br
HORÁRIO DE VISITAÇÃO
De terça a sexta-feira das 9h às 18h. Aos sábados, domingos e feriados das 10h às 16h.

A Fundação Iberê Camargo recebe até o dia 30 de março, a exposição “Se o paraíso fosse assim tão bom”, da artista Cecil Brown, destaque na pintura contemporânea mundial.

A exposição reúne um conjunto de obras que especula sobre a ideia de paraíso. Para isso, traça diálogos com a história da arte, em contato com artistas tão diversos quanto Hieronymus Bosch, Michelangelo Buonarroti, Jan Brueghel e Peter Paul Rubens.

O ponto em comum entre essas referências com as obras de Brown é o interesse pelo paraíso. Na visão dela, o paraíso é um campo de batalha, no qual forças opostas do bem e do mal, da luz e da escuridão, estão em perpétuo estado de tensão.

A mostra apresenta pinturas repletas de cor e movimento; faces — animais e humanas — que espreitam os espectadores por entre véus de cor; figuras que exploram o espaço pictórico e recusam-se à imobilização e fixação. Tudo está movimento. Os trabalhos apresentam-se no meio da narrativa, transpirando um dinamismo que desafia a natureza estática da pintura. Eles revelam e escondem na mesma medida, solicitando ao espectador que olhe de novo e de novo.

A Fundação Iberê Camargo está localizada na Av. Padre Cacique, 2000 – Porto Alegre/RS.

Arquivo Pessoal

A Galeria de Arte do Templo da Boa Vontade recebe até o dia 30 de março, a exposição “A natureza é uma arte”, do artista Breiner Silvestre.

Mesmo sem as mãos, Brener nunca se viu com qualquer dificuldade e nem precisou de nenhuma adaptação para fazer seus quadros. Como ele mesmo diz: “foi natural”. Desde pequeno, o talento já despontava para as artes em seus desenhos.

A exposição apresenta 19 telas que retratam a paisagem urbana e o abstrato usando a técnica acrílico sobre tela. O visitante verá muita cor, abstração e personalidade.

Desde 2011, o pintor tem dedicado seu talento em telas e mosaicos. As obras retratam a paisagem urbana e o abstrato usando a técnica acrílico sobre tela.

SERVIÇO
Exposição A Natureza é uma arte
Galeria de Arte do Templo da Boa Vontade
Endereço: Quadra 915, lotes 75/76 – Asa Sul. Brasília/DF
Visitação: até o dia 30 de março, todos os dias, das 8 às 20 horas
Entrada: Franca
Classificação: Livre
Informações: (61) 3114-1070.

Entre os dias 12 e 15 de março de 2019 o Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro, terá uma programação especial para a Semana das Mulheres, em celebração ao Dia Internacional da Mulher.

12 de março:
Representatividade de mulheres cientistas importa. E a Internet é também um espaço que elas merecem ocupar. Nesta mesa-redonda, a importância de garantir mais visibilidade ao trabalho científico das mulheres e reconhecer suas conquistas entra em foco com a discussão da representatividade delas em citações científicas e na internet, além de outros temas na relação gênero e ciência. O evento acontece no dia 12 de março, a partir das 16h.

13 de março:
Será realizada a edição do Ciência às Seis e Meia com um painel temático com convidadas debatendo o papel das mulheres nas carreiras científicas.

A relação (por vezes conturbada) entre gênero e produção científica é o tema principal desta programação. No painel, as convidadas conversarão sobre conquistas e obstáculos para mulheres nas carreiras científicas. Apesar de produzirem metade da ciência feita no Brasil, elas ainda são minoria em cargos de liderança em laboratórios, institutos de pesquisa e reitorias de universidades.

14 de março:
No dia 14 de março, a morte da vereadora Marielle Franco completa um ano. Motivados pela importância dessa data, o Museu propôs um dia de atividades envolvendo o público infantil, adolescentes, população em situação de rua e todos que tiverem interesse.

Atividades, conversas e práticas educativas abordam o tema no Museu do Amanhã fazendo conexão com as pautas defendidas por Marielle.

15 de março:
O Programa Amigos do Amanhã – NOZ, em parceria com a Livraria da Travessa, preparou um debate sobre Mulheres no Esporte. A mesa contará com a presença de Daniela Alfonsi, diretora técnica do Museu do Futebol de São Paulo e de Jackie Silva, ex-jogadora e pioneira no vôlei de praia feminino.

16 de março:
Das 10h30 às 15h o público poderá conferir uma agenda especial debate e filme.

A programação ainda se estende por toda a semana. Confira aqui.

O mês de março é especialmente dedicado às mulheres em lembrança do Dia Internacional da Mulher.

Mas o MASP preparou sua agenda de 2019 todinha para ressaltar grandes artistas que fizeram história no mundo das artes e de temas que envolvem narrativas feministas. Nós até noticiamos aqui toda a agenda. Vale a pena conferir.

E neste mês já começa a programação especial em torno desta temática:

Programe-se para ver a exposição “Djanira: a memória de seu povo”, que revisita as obras dos anos 1940 a 1970, em parceria com a Casa Roberto Marinho. Período: de março a abril.

E no segundo semestre, o MASP apresenta a exposição da carioca Anna Bella Geiger, um dos grandes nomes da arte contemporânea brasileira.

O MASP está localizado na Avenida Paulista, 1578 – São Paulo/SP.

Com o tema “Passado, Presente e Futuro: Pesquisadoras em Ação”, o Museu de Astronomia e Ciências Afins convida para uma programação muito especial no dia 13 de março, o Dia das Meninas, idealizado para incentivar a participação de jovens na área das ciências.

Ao longo dos anos, as mulheres foram protagonistas na construção do pensamento científico e importantes para o desenvolvimento e para o avanço da ciência e da sociedade.

Em sua quinta edição, o evento reúne uma programação repleta de atrações. Uma das abordagens propostas foi convidar pesquisadoras de diversas áreas para rodas de conversa, onde elas vão compartilhar um pouco da sua história e conversarão com o público.

Para maior imersão na temática também faz parte da programação oficinas de divulgação da ciência de temáticas diversas. Destaca-se ainda, a presença de estudantes do Colégio Estadual Olavo Bilac como participantes e convidados especiais, representando as sementes de possíveis futuros frutos.

A programação é aberta aos visitantes do MAST. Para participar deste dia tão especial, basta ligar para (21) 3514-5233 e realizar a sua inscrição. São 80 vagas disponíveis para o público.

O Conhecendo Museus preparou uma homenagem especial para este 8 de março, onde é comemorado o Dia Internacional da Mulher.

Celebrar esta data é lembrar de importantes mulheres que estiveram à frente de seu tempo em diversos segmentos, mostrando a todos o poder, o conhecimento, a garra, a beleza e a personalidade de figuras femininas exemplo para outras mulheres e também para a sociedade.

Convidamos você a assistir aos episódios especiais que produzimos retratando algumas das importantes mulheres que fazem parte da nossa história e que estão representadas em museus brasileiros.

CLARA NUNES

Um dos maiores nomes da música popular brasileira e estrela internacional, Clara Nunes está eternizada em um memorial que leva o seu nome, localizado na cidade de Caetanópolis, interior de Minas Gerais.

A visita ao universo de Clara Nunes começa pela Fé, traço marcante em sua vida e que ela fez questão de tornar público através de sua obra. Seu trânsito por diferentes universos religiosos, com seriedade e convicção, foi fundamental para que ela entendesse o seu canto como uma missão.

EMA GORDON KLABIN

Ema Gordon Klabin (1907-1994) foi empresária, mecenas e colecionadora brasileira. A Fundação Cultural que leva o seu nome está localizada em São Paulo/SP, no bairro Jardim Europa, e retrata o requinte da coleção particular dessa carioca filha de lituanos, que deixou um legado cultural ao país. Em seu acervo, encontram-se peças que colecionou durante toda a vida, por isso a diversidade é o ponto forte de toda a sua coleção.

NÍSIA FLORESTA

Pioneira na luta feminista no Brasil e na América Latina, Nísia Floresta Brasileira Augusta brigou pelos direitos das mulheres, dos negros, dos índios, de todos os humilhados e esquecidos. Em pleno século XIX, a estudiosa e revolucionária escandaliza e questiona a todos com livros e artigos para jornais, defendendo a igualdade política dos sexos. Nísia deu aulas em Recife, Porto Alegre, Rio de Janeiro, onde fundou e dirigiu um colégio, destacando-se como educadora.

CORA CORALINA

Considerada uma das principais escritoras brasileiras, Cora Coralina teve seu primeiro livro publicado em junho de 1965 (Poemas dos Becos de Goiás e Estórias Mais), quando tinha 76 anos de idade. Mulher simples, doceira de profissão, viveu longe dos grandes centros urbanos, longe dos modismos literários, produziu uma obra poética rica em motivos do cotidiano do interior brasileiro, em particular das suas histórias e vida simples de Goiás.

MARIA BONITA

Maria Gomes de Oliveira nasceu e cresceu no povoado Malhada da Caiçara, que se localiza no município Paulo Afonso, na época município Glória, na Bahia. Depois de um casamento fracassado, no qual não gerou filhos, em 1929 tornou-se a namorada Lampião, o “Rei do Cangaço”. Morando na chácara dos pais, um ano depois do namoro ela foi chamada por Lampião para fazer efetivamente parte do bando de cangaceiros, se tornando a mulher dele, com quem viveria por oito anos.

MÃE MIRINHA DE PORTÃO

Em 2004 mãe Mirinha, mentora da Associação São Jorge Filhos da Goméia, mais uma vez teve o seu trabalho reconhecido, no dia 15 de abril o Terreiro São Jorge Filhos da Goméia, onde está localizado o museu, foi tombado como Patrimônio Cultural do Estado da Bahia, através do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural do Estado da Bahia (IPAC), fruto do árduo trabalho de Mirinha desenvolvido durante anos.

Através de atividades culturais que proporcionem a elevação da autoestima da comunidade localizada na cidade de Lauro de Freitas, no bairro Portão, crianças, jovens e adultos tem acesso a cursos de informática e capoeira, oficina de dança e oficina de percussão.

Em clima de alegria, o Museu do Futebol (São Paulo/SP) preparou uma agenda especial para este sábado, dia 2 de março, a partir das 14h; e no dia 5, às 11h.

O bloquinho “Folia no Museu” entra em campo com ritmo carnavalesco, sendo comandado pela banda ReBrincando, com repertório tradicional do Carnaval, hinos e marchinhas ligadas ao universo do futebol!

Quer combinação melhor do que carnaval e futebol?!

A maior festa popular do Brasil não poderia ficar de fora do Museu do Futebol!

Programe-se! O evento no Museu do Futebol é para toda a família.

O Museu Solar Monjardim, localizado em Vitória/ES, inaugurou a exposição “Uma Nova Música Antiga”, que exibe instrumentos musicais originais com quase 300 anos de idade, além de réplicas fiéis, que testemunham a história da música erudita no Brasil. A exposição fica em cartaz com entrada gratuita até o dia 31 de março.

Durante a visita, encontraremos na exposição um violino de 1820 que pertenceu a família da Princesa Isabel e um cravo em cuja tampa está pintada uma cena da Baía de Vitória no século XVIII.

Esta exposição é uma parceria do museu com o grupo A Trupe Barroca, um conjunto musical capixaba dedicado à pesquisa e execução de música antiga (interpretação historicamente orientada), através do uso de técnicas e instrumentos próprios da época, com destaque para os séculos XVII e XVIII, período em que a arte musical floresceu na Europa a partir das obras de alguns dos maiores compositores da história, como Vivaldi, Bach, Händel, Haydn e Mozart.

O Museu Solar Monjardim fica na Av. Paulino Müller, Jucutuquara, em Vitória (ES), e pode ser visitado de terça a sexta-feira, das 9h às 12h e das 13h30 às 16h30; e aos sábados, domingos e feriados, das 13h às 17h (exceto no período do Carnaval).

Close