Que tal fazer um tour virtual pelo Museu do Amanhã? Neste período de isolamento social, a gente não deve viajar, mas dá pra curtir muita coisa mundo afora sem sair do sofá da sala. Este simbólico atrativo da cidade maravilhosa tem suas portas abertas por meio da tecnologia.

Premiada com o Grand Prix de bronze na categoria Exposição temporária e com mais de 250 mil visitantes, Pratodomundo – Comida para 10 bilhões, que ficou em cartaz no Museu do Amanhã em outubro de 2019, está de volta, agora em ambiente online.

Prata do Mundo é um convite à reflexão sobre a fome no planeta.

Para saber mais sobre este tour virtual é clicar AQUI

Dentro da 18ª Semana Nacional de Museus (18ª SNM), museus em todo o Brasil estão promovendo ações culturais no ambiente virtual. Por conta da pandemia do novo coronavírus tudo mudou, mas nada como a criatividade para não deixar esse momento passar em branco, não é mesmo?

Selecionamos aqui pra vocês algumas atrações de museus no estado do Rio de Janeiro com uma programação pra lá de especial. Veja:

O Museu Histórico Nacional promove, nesta sexta-feira, 22, às 15h, uma Live com a equipe do Núcleo de Educação do MHN sobre a coleção acessível.

Museu da República promoverá um bate-papo nesta sexta, 22, às 17h, sobre o tema da 18ª SNM, além da exposição virtual do projeto Palavra Bordada e o lançamento virtual do Museu Urbano do Catete.

Já o Museu da Chácara do Céu disponibilizará texto e imagens da série D. Quixote, como uma prévia do lançamento do livro “D. Quixote visto por dois artistas brasileiros Portinari e Drummond”, a ser publicado em outubro.

O Museu de Arte Religiosa e Tradicional, em Cabo Frio (RJ) dará início do “Projeto Educação para o Patrimônio no Mart”, por meio da aplicação de um questionário online, voltado opara professores do município.

De 18 a 24 de maio, museus e instituições culturais de todos o país comemoram a 18ª Semana Nacional de Museus (18ª SNM), evento anual em comemoração ao Dia Internacional dos Museus (18 de maio).

Confira a programação completa dos museus aqui.

Aos domingos, quem segue o MAR nas redes sociais pode conferir vídeos inéditos de artistas convidados para Casa Carioca, a próxima exposição do museu.

Habitação popular, sociabilidade e o papel da mulher como chefe de família são os principais assuntos abordados na mostra, que irá ocupar 3 salas e faz parte do programa curatorial sobre o Rio de Janeiro.

Além dos vídeos aos domingos, também está sendo compartilhado com o público pelas redes sociais ao longo da semana dados importantes relacionados aos temas da mostra e obras selecionadas pela curadoria.

Clique aqui para conferir os vídeos já publicados nas redes do MAR!

Na próxima quarta-feira, dia 20 de maio, às 14 horas, você poderá conferir uma Live especial sobre “Conservação em museus e o novo coronavírus”, onde serão debatidos formas de desinfecção e cuidados em relação ao vírus, higienização e protocolos para museus.

O evento conta com o apoio da Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação da UFRGS, do Sistema Estadual de Museus, do Museu Julio de Castilhos, do Musecom, do Museu de História da Medicina (MUHM) e do Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB-RS).

A palestra será comandada pela professora doutora Jeniffer Cuty. Para participar, acesse esse link: https://mconf.ufrgs.br/events/conservacao-de-acervos-e-contaminacao-pelo-novo-coronavirus

 

A Semana Nacional dos Museus chega em sua 18ª edição em 2020, com programação temática intitulada Museus para a igualdade: diversidade e inclusão.

Em Pernambuco, o Museu do Homem do Nordeste (Muhne) preparou uma programação virtual seguindo as regras de segurança por conta da pandemia.

A programação agrega atividades como oficinas, videodebate, mediação temática, indicação de filmes, palestra, recitais de poesias, contação de histórias e o espaço Com a Palavra a Arte Popular, em que artesãos, mestres, artistas falarão sobre suas obras e como estão se adequando para manter a produção neste período de pandemia.

Confira a programação completa:

18/05 – Manhã

8h Abertura: Vídeo sobre o Museu do Homem do Nordeste e o Engenho Massangana

8h30 Presidente da Fundaj, Antônio Campos, fala sobre a importância de celebrar os museus.

9h Fala do diretor de Memória, Educação, Cultura e Arte, Mario Helio.

9h30 Mediação temática: o Muhne em qualquer lugar, por Murilo Dayo e Angeline Araújo.

10h30 Coordenador- geral do Museu do Homem do Nordeste, Frederico Almeida, fala sobre a importância do Muhne e do Engenho Massangana na 18ª Semana Nacional dos Museus.

Tarde

14h Coordenadora de Ações Educativas e Comunitárias do Muhne, Edna Silva, fala sobre os novos desafios do fazer educativo em museus

15h Oficina “Confecção de bonecas abayomi”, por Edvânia Tatiana

16h “Com a palavra a arte popular”, por Mestre Nado


19/05 – 
Manhã

8h Coordenador de Museologia, Albino Oliveira, do Museu do Homem do Nordeste, fala sobre os cuidados com a preservação do acervo.

10h Oficina de brinquedos populares “Bilboquê”, por Emanuel Messias.

 

Tarde

15h Oficina de Turbante, por Rayanne Santos e Jamille Barros.

16h Com a palavra a arte popular, por Mestre Saúba

 

20/05 – Manhã

8h – Coordenador de Exposições do Museu do Homem do Nordeste, Antônio Montenegro, fala sobre como as exposições se materializam e quais reflexões precisam ser feitas no futuro dada sua importância na relação museu e seu público.

10h – Oficina de brinquedos populares “ Corropio”, por Luana Santos.

 

Tarde

14h – Com a palavra a arte popular, pela artesã Léia Gomes.

 

21/05 – Manhã

8h Ciema Melo, chefe da Divisão de Estudos Museais, fala sobre a solidão do Muhne neste período de isolamento social.

10h Oficina Museu ponto a ponto – Crochê, por Élida Nathalia.

14h Educativo indica! Filmes Pernambucanos que dialogam com a temática da SMN:

Um Lugar ao Sol – É um filme acessível com recursos de áudio descrição, intérprete da língua de Sinais e legenda  e faz parte do Projeto Alumiar da Coordenação de Cinema da Fundaj

Amor, Plástico e Barulho;
Maracatu Maracatus;
A Onda Traz, O Vento Leva.

16h Com a palavra a arte popular, pelo artesão Enersom Silva.

 

22/05 – Manhã

8h Leitura de trecho do capítulo do livro Minha Formação, de Joaquim Nabuco. Será feita por Edvânia Tatiana, educadora que atua no Engenho Massangana.

9h Projeto Muhne 360º: Passeio virtual pelo Muhne e Engenho Massangana, por Murillo Dayo e Edvânia Tatiana.

 

Tarde

14h Risomildo Guedes da Silva, o guardião do acervo do Muhne.

15h Oficina: Crie seu acervo: Reprodução de peça do Muhne, por Príscilla Marroquim.

16h Com a palavra a arte popular, por Mestra Nice.

 

23/05 – Manhã

8h Quem faz o Muhne?

10h Oficina Impressão sobre papéis (Azulejaria), por Emerson Pontes.

 

Tarde

14h Contação de História: Como nasceram as estrelas, conto de Clarice Lispector, interpretado por Élida Nathália.

16h Com a palavra a arte popular, por Fausto Ribeiro Sobral.

 

24/05 – Manhã

9h Recitais de Poesias pelo Educativo do Museu do Homem do Nordeste.

Para comer depois – Adélia Prado

Recordar é preciso – Conceição Evaristo

Chuva de Cinzas – Gilka Machado

 

Tarde

14h Liliana Tavares, especialista em acessibilidade, fala sobre a importância do museu ser acessível.

15h Com a palavra a arte popular, por Diego Gomes.

16h Coordenador Geral de Museu, Frederico Almeida, fala sobre a participação de todos os envolvidos no processo.

 

SERVIÇO

18ª Semana Nacional de Museus: Museus para a igualdade: diversidade e inclusão

Quando: 18 a 24 de maio de 2020, das 8h às 12h, e das 14h às 17h

 

Onde acompanhar:

Site da Fundaj (clique aqui)
YouTube Fundaj Oficial (clique aqui)

Twitter Fundaj Oficial (clique aqui) (@FundajOficial)

Instagrams Fundaj Oficial e Muhne: @fundajoficial e @museudohomemdonordeste

Facebook Fundaj e Muhne: /FundacaoJoaquimNabuco e /museudohomemdone

 

De 18 a 24 de maio, instituições de todo o país vão transmitir pelas redes debates e atividades seguindo o tema “Museus para Igualdade: Diversidade e Inclusão”.

Antes da pandemia do novo coronavírus estava tudo certo para um dos principais eventos culturais brasileiro receber o público nos museus e oferecer a eles uma imersão em arte. Porém, os planos mudaram por conta das recomendações da quarentena e para não gerar aglomeração.

Então, entrou em cena a tecnologia aliada à arte!

Prepare-se para curtir uma semana com muita programação cultural e artística diretamente do seu sofá. De 18 a 24 de maio acontece a 18ª Semana Nacional de Museus, coordenada pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram). O evento, que acontecerá de forma virtual em diferentes instituições pelo Brasil, faz parte da celebração do Dia Internacional de Museus, comemorado na próxima segunda (18).

Anualmente, os museus do mundo todo se organizam na data para realizar atividades e eventos a partir de um tema comum, proposto pela ICOM. Neste ano, a proposta é “Museus para Igualdade: Diversidade e Inclusão”. Em vista disso, o Ibram lançou o desafio aos museus brasileiros de apresentar obras de seus acervos que tragam representatividade e disseminem conhecimentos e soluções, “apoiando o desenvolvimento e as ações dos demais, de modo a diminuir a desigualdade no tratamento e perspectivas oferecidas aos seus públicos”, conforme nota divulgada pelo instituto.

Diferentes museus ao redor do Brasil participarão da semana com eventos virtuais.

Confira a programação de alguns deles e curta esse momento cultural sem sair de casa.

Em breve, tudo isso vai passar!

 

Foto: Helio Nobre/Divulgação

O Museu do Ipiranga e o Wiki Movimento Brasil (WMB) iniciaram neste mês de maio, a terceira maratona de edição de artigos sobre o acervo da instituição, desta vez com o tema São Paulo Fotográfica.

Os participantes da maratona vão editar artigos sobre o acervo fotográfico do Museu, com foco nas obras de Werner Haberkorn, Guilherme Gaensly e Militão Augusto de Azevedo. Os três retratam a cidade de São Paulo em períodos de expansão e urbanização, principalmente da região central, mas em diferentes recortes históricos.

Azevedo, por exemplo, fez um álbum comparativo, fotografando sob a mesma perspectiva a paisagem da cidade em 1862 e 1887. Já Gaensly retrata a cidade na virada para o século XX, e Haberkorn concentra sua produção nas décadas de 1940 e 1950. Confira a agenda completa no final da matéria.

O evento faz parte de um projeto mais amplo do Museu do Ipiranga de aumentar sua presença no meio digital, em que a Wikipédia é tida como um espaço fundamental. A expectativa é que dezenas de milhões de pessoas tenham acesso a imagens e textos relacionados ao acervo do Museu durante todo o ano por meio da parceria realizada com o Wiki Movimento Brasil, a partir de práticas de difusão digital colaborativas.

A iniciativa é uma atividade do Wiki Movimento Brasil e da equipe do Museu do Ipiranga, com parceria da Fundação Banco do Brasil e realização da Universidade de São Paulo e da Fundação de Apoio à Universidade de São Paulo (FUSP). O Wiki Movimento Brasil é uma organização que reúne editores da Wikipédia no Brasil, afiliada da Fundação Wikimedia.

Fonte: Museu do Ipiranga

O Museu Ema Klabin preparou uma programação pra lá de especial para toda a família neste mês de maio por meio das suas redes sociais para levar informação, cultura, reflexão e diversão ao público.

Entre as ações, você poderá escutar apresentações inéditas de violonistas que já dividiram o palco com grandes nomes, matar saudades de grupos que já se apresentaram no museu, fazer download gratuito da Revista Digital “Mulher e Seus Saberes” e saber mais sobre a coleção.

A cada semana tem novidades com atividades culturais para toda a família no projeto #CasaMuseuEmCasa.

Confira a programação deste mês:

Todas quintas-feiras do mês de maio, às 17 horas, no Canal do YouTube do Museu, tem programação musical com apresentações inéditas gravadas por violonistas direto de suas residências. Entre eles, a participação de Matheus Alves, Isabel Luiza, Andrea Perrone e Duo Fryvan. O projeto é uma parceria da Casa- Museu Ema Klabin com o Violão e Ponto.

Dia 14 de maio: apresentação da violonista Isabel Luiza, que interpretará os Movimentos 1 e 3 da ‘Sonata Mexicana’, de Manuel Ponce.

Dia 21 de maio: apresentação da violonista, cantora e compositora porto-alegrense Andrea Perrone, que vai interpretar ‘For Fun’ e ‘High’, ambas de sua autoria.

Dia 28 de maio: quem finaliza as apresentações de violão é Duo Fryvan. Formado em 2012 pelos violonistas Fredy Pietz e Ivan Sakavicius, o duo interpretará as peças de sua autoria: ‘Galápagos’ e ‘Simples como Ser’.

E todas as terças-feiras você poderá conferir uma música inédita de grupos que já se apresentaram no programa Tardes Musicais, como o “Conjunto João Rubinato” e Mental Abstrato.

Confira a programação completa

Está com saudades do museu?

Você pode realizar visitas virtuais no Google Arts & Culture no link: https://artsandculture.google.com/partner/fundacao-ema-klabin. Ou por meio da ferramenta digital Explore, no site do museu: https://emaklabin.org.br/explore/

O MASP preparou alguns conteúdos digitais para continuar levando a você arte e a programação do MASP enquanto o museu estiver fechado. Os seguidores podem acompanhar lives no Instagram do @masp com conversas entre curadores do museu e convidados.

A próxima edição será na segunda-feira, 4 de maio, às 18h. Acompanhe as Lives anteriores no IGTV do MASP no Instagram.

Além dos conteúdos habituais nas mídias digitais do museu (como os #TBTs que resgatam momentos históricos), a nova série masp [curadoria] em casa leva ao Instagram, Facebook e Twitter comentários de curadoras e curadores sobre uma imagem relacionada ao museu a partir de uma perspectiva pessoal. Pode ser uma obra, um detalhe da arquitetura, uma exposição, uma atividade, uma palestra ou um seminário, do passado recente ou remoto.

Outro novo projeto de conteúdo é o masp [colaboradores] em casa, que leva aos perfis das mídias sociais as memórias dos colaboradores através do olhar particular daqueles que constroem os bastidores do museu.

O MASP Áudios, aplicativo gratuito disponível para download, reúne cerca de 170 comentários feitos por curadores artistas, professores, pesquisadores e crianças sobre as obras mais icônicas do acervo. Está disponível para download na App Store e no Google Play.

O canal do YouTube traz os vídeos de seminários e palestras, entrevistas com os artistas e outros detalhes sobre algumas exposições. No Google Arts & Culture ainda é possível fazer um tour virtual e explorar a exposição permanente do MASP, o Acervo em Transformação.

Fonte: MASP

Diante do cenário atual que estamos vivendo por causa do novo coronavírus, os museus brasileiros tiverem que suspender as exposições, visitas e usar de um recurso muito importante: a tecnologia. Você pode visitar muitos museus na palma da sua mão e compartilhar em suas redes esse movimento cultural.

Mas hoje trouxemos aqui pra você que acompanha o Conhecendo Museus a iniciativa do Museu do Amanhã por meio do Programa de Vizinhos. Localizado na região portuário do Rio de Janeiro/RJ, o museu está localizado ao redor de bairros onde o efeito da pandemia está atingindo cerca de 30 mil moradores, que vivem basicamente do trabalho informal.

Pensando nisso, o Museu do Amanhã uniu esforços por meio de seu programa e criou uma página especial em seu site para arrecadar fundos que serão utilizados na compra de cestas básicas. As cestas vão ser distribuídas pelas próprias organizações sociais e grupos locais que já estão mobilizados para distribuição das mesmas para os moradores. Nessa região da cidade, além da vulnerabilidade de muitas famílias nos morros, há também muitos moradores vivendo de forma precária em ocupações.

Incrível, não é mesmo? Para saber mais informações e até ajudar da forma como achar melhor, é só acessar o Museu do Amanhã.

Programação #museuemcasa

Premiada com o Grand Prix de bronze na categoria Exposição temporária e com a marca de mais de 250 mil visitantes, Pratodomundo – Comida para 10 bilhões, que ficou em cartaz no Museu do Amanhã de 12 de abril a 27 de outubro de 2019, volta agora em ambiente online. A iniciativa integra a extensa programação do #museuemcasa, promovida em nossas redes sociais durante a quarentena do coronavírus, e tem o patrocínio do Carrefour.

A exposição parte do desafio de como alimentar 10 bilhões de pessoas, o número estimado da população mundial na década de 2050, com diversidade na produção, respeito ao meio ambiente e qualidade nutricional. Também pretende refletir sobre como devemos enfrentar os desafios das mudanças climáticas, a redução da biodiversidade, extremos como a fome e a obesidade e a distribuição desigual dos alimentos. Na mostra, o público conhece algumas alternativas, como o cultivo em regiões pouco exploradas (tundra, oceanos e desertos), além do consumo de alimentos como algas, insetos e plantas comestíveis não convencionais.

 

Neste momento de isolamento social, os museus têm usado a tecnologia para levar cultura para o público.

O Museu de Arte Sacra de Mato Grosso está desenvolvendo um projeto que engloba lives, conteúdos informativos e, em breve, visita virtual.

Com o projeto “MASMT em Casa”, desde o início do mês de abril, o museu tem oferecido transmissões ao vivo semanais com convidados especialistas falando de temas relacionados à educação, história, arte, arquitetura e patrimônio.

Além das transmissões ao vivo, o MASMT também produz uma série de vídeos de curiosidades sobre o museu e seu acervo no quadro “Você Sabia? ”. A apresentação do próprio museu e curiosidades da antiga Catedral do Senhor Bom Jesus de Cuiabá foram os temas das primeiras produções. Cada vídeo é divulgado sempre às quartas-feiras e o próximo será sobre os retábulos que pertenceram à antiga Catedral no período colonial.

As lives e os vídeos são transmitidos pelo perfil do Museu de Arte Sacra, na rede social Instagram @museudeartesacramt.

Inaugurado em 12 de abril de 1954, o prédio do museu foi construído em 1749 e serviu como residência do inconfidente Padre José de Oliveira e Silva Rolim, um dos principais nomes na chamada Conjuração Mineira de 1789. O imóvel permaneceu em mãos de particulares até 1945 quando foi desapropriado pela União.

Para comemorar o aniversário do museu, publicações sobre o Padre Rolim, que foi dono do casarão setecentista que hoje abriga a unidade museológica, foram divulgadas, assim como postagens sobre a criação do museu com destaque para o contexto da política de preservação do patrimônio cultural brasileiro e para as condições que propiciaram sua implantação.

O acervo do museu reúne itens de arte sacra, mobiliário, armaria, transporte, indumentária, tecelagem, mineração e outros objetos, que revelam como se deu a ocupação da região e explicitam a influência histórica da extração de diamantes na economia e no meio social do antigo Distrito de Diamantina e de outras regiões do país.

Por conta do novo coronavírus, todas as atividades no museu estão suspensas, seguindo as orientações dos órgãos oficiais. Mas você pode acompanhar com a gente, neste episódio especial, e conhecer a história, acervo e curiosidades do Museu do Diamante.

 

 

 

Close