As belas praias, belezas naturais e o povo hospitaleiro fazem do Rio de Janeiro a Cidade Maravilhosa. Quem a visita nunca esquece e quem mora lá tem centenas de opções culturais, histórias e turísticas para conhecer e desfrutar a hora que quiser. Sorte!

E neste contexto está o Sítio Roberto Burle Marx, um verdadeiro oásis localizado na zona oeste da cidade, em Guaratiba. São mais de 400 mil m2, onde estão reunidas uma das mais importantes coleções de plantas tropicais e semitropicais do mundo. A belíssima propriedade foi adquirida em 1949 por Burle Marx e seu irmão, Siegfried. O local passou por reforma e, em 1973, o paisagista foi morar definitivamente lá levando consigo uma coleção de plantas que ele iniciou ainda na infância, aos 6 anos de idade.

O acervo do Museu-Casa possui 3.125 peças, incluindo obras do próprio Burle Marx, entre elas, pinturas, desenhos, tapeçarias, vidros decorativos, murais em azulejos e tecidos. Também fazem parte do acervo coleções de vidros decorativos diversos, imagens barrocas em madeira, cerâmica pré-colombiana e cerâmica primitiva oriunda do Vale do Jequitinhonha/MG.

E não para por aí, porque o acervo botânico é formado por cerca de 3.500 espécies de plantas cultivadas, cujas principais famílias botânicas são: Araceae, Arecaceae, Bromoliaceae, Cycadaceae, Heliconiaceae, Marantaceae e Velloziaceae. Pensa em um lugar lindo, tranquilo e rodeado por natureza. Ficamos todos encantados!

No ano de 1985, o Sítio Roberto Burle Marx foi doado ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) pelo próprio paisagista, com o objetivo que ele se tornasse uma escola de paisagismo, botânica e artes em geral, onde todo seu legado e sua paixão pelas plantas pudessem ser preservados. Em 1994, ano do falecimento de Burle Marx, o sítio foi aberto para visitação. E, em 2000, toda a propriedade foi tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

No local, o público pode participar de atividades culturais, como concertos musicais, cursos e exposições, que são realizados ao longo do ano nos jardins do Sítio e no ateliê de Burle Marx. No Dia de Santo Antônio, 13 de junho, a comunidade de Guaratiba reúne-se para uma procissão religiosa, que se forma no portão de entrada e sobe o morro, passando pela alameda principal até a Capela. Ao final da missa, as crianças fazem a coroação de Santo Antônio. Durante o resto do ano, aos domingos, a Capela é também usada pelos habitantes da comunidade, como já faziam seus antepassados há 300 anos.

Venha conhecer com a gente o Sítio Roberto Burle Marx e se maravilhar com este espaço ímpar no cenário cultural brasileiro.

Close