A cidade de Fortaleza por si só já é um museu a céu aberto. A arquitetura de diversos casarões, prédios históricos e praias formam um conjunto belíssimo que atrai milhares de turistas de todo o mundo. E foi neste cenário que o Conhecendo Museus veio parar para apresentar o Museu do Ceará, a primeira instituição museológica oficial do Estado, criada por decreto em 1932, mas aberto oficialmente ao público em janeiro de 1933. Está localizado em um imóvel de significativo valor histórico, denominado Palacete Senador Alencar, idealizado originalmente para ser a Assembleia Provincial do Ceará, na época do Brasil-Império.

As obras do edifício tiveram início em 1856 e foram concluídas em 1871, sendo tombado como Monumento Nacional pelo IPHAN em 1973. O prédio ainda mantém suas características arquitetônicas originais. Seu estilo neoclássico é expresso principalmente através das colunas, janelas e frontão triangular. Nas proximidades está o Palácio da Luz (atual Academia Cearense de Letras), a Igreja do Rosário e a Praça General Tibúrcio (mais conhecida como Praça dos Leões). Essas construções formam um importante conjunto arquitetônico da capital cearense, localizado numa área de grande densidade histórica e turística.

O Museu do Ceará possui um acervo muito rico, resultado de compras, de doações particulares e de instituições públicas. Entre medalhas, moedas históricas, há quadros, móveis, peças arqueológicas, artefatos indígenas, bandeiras e armas. Há também peças de “arte popular” e uma coleção de cordéis publicados entre 1940 e 2000 (950 exemplares). Alguns objetos se referem aos chamados “fatos históricos”, como a escravidão, o movimento abolicionista e movimentos literários, como a famosa “Padaria Espiritual”, que entrou para a História da Literatura Brasileira com especial destaque.

Estamos falando de um acervo com mais de sete mil peças, representando os aspectos culturais, econômicos e sociais do Ceará. O imponente edifício, que por si já é uma peça museológica, abriga uma exposição de longa duração aberta em 1998 e espaços de exposições temporárias que percorrem vários temas da História do Ceará, o Memorial Frei Tito (aberto em 2002), a sala Paulo Freire (criada em 2001 para receber os visitantes e sediar seminários, cursos, etc), a Reserva Técnica, a sala do Núcleo Educativo, a sala da administração e biblioteca.

Além disso, o Museu do Ceará realiza cursos, oficinas, palestras e publicações na área de museologia e história. Promove visitas orientadas e capacitação para professores, em parceria com a Universidade Federal do Ceará. Todas as atividades têm contribuído para que o museu seja reconhecido como um significativo espaço de educação, cultura e lazer, transformando-se numa referência regional.

Venha conhecer conosco este espaço cultural do estado do Ceará. Não perca!

 

Close