Inaugurada em 2003, a Casa dos Povos da Floresta imita uma maloca indígena e retrata a história de ribeirinhos, seringueiros e índios. Está localizada dentro do Parque da Maternidade — ponto turístico de Rio Branco, no Acre. Com o intuito de valorizar e guardar toda essa história é que surgiu a proposta de criação da Casa, a fim de que cada vez mais os acreanos pudessem ter conhecimento da sua história, orgulhando-se do seu passado, preservando para o futuro.

Além de ter uma exposição permanente do imaginário amazônico, com mitos e lendas transmitidas oralmente por seringueiros, ribeirinhos e indígenas, de pai para filho, a Casa dos Povos da Floresta também disponibiliza um acervo em vídeo e uma biblioteca sobre a história do Acre, enfocando os povos tradicionais e a sociedade mais recente. Compõe também o aspecto tradicional da Casa, uma exposição de artesanato indígena e regional. A arquitetura do espaço foi inspirada nos grandes Kupixáuas (grandes casas indígenas). A pintura no piso de entrada é inspirada na pintura corporal Yawanawá.

No local, o visitante pode ver réplicas dos personagens folclóricos que habitam o imaginário dos povos da região e o artesanato típico de grupos que vivem há centenas de anos na região amazônica. O local possui uma sala para exposição permanente da cultura acreana e outra que abriga trabalhos de artistas locais. O acervo etnográfico e bibliográfico foi adquirido aos poucos e por doações.

Entre os objetos expostos, vamos conhecer o boto cor de rosa, o mapinguari gigante, a mãe da mata, entre outros. Na parte de artesanato, vemos utensílios domésticos, além de fotografias e vídeos que contam a história dos índios e dos povos ribeirinhos e seringueiros. Essa população em muito colaborou para a formação da identidade do acreano, estabelecendo referenciais de hábitos cotidianos como os alimentares, o banho, o uso de redes e outros.

Venha conhecer conosco este templo da cultura, que conta importantes fatos da história do Brasil. Você não pode perder!

 

Close