template_museus_gente sergipanaA escolha do prédio do antigo Colégio Atheneuzinho para sediar o Museu da Gente Sergipana não se deu por acaso. Em outubro de 2009, já sob a responsabilidade do Instituto Banese, foi iniciado o projeto de restauração do prédio que apesar do seu completo estado de abandono, teve as suas memórias e elementos caracterizadores da sua arquitetura totalmente recuperados.

A tarefa de realizar o projeto de restauração e adaptação para o novo uso museológico do Atheneuzinho ficou a cargo do escritório de arquitetura sergipano Ágora Arquitetos Associados, que coordenou uma equipe multidisciplinar composta por historiadores, designers, engenheiros, pesquisadores, artistas e, claro, arquitetos. Seguindo à risca o projeto original do prédio, foi possível restaurar elementos arquitetônicos e as pinturas parietais escondidos embaixo de diversas camadas de tintas.

Foram acrescentadas também algumas obras no entorno do atual prédio do Museu da Gente Sergipana, como uma edificação para abrigar o Instituto Banese, órgão gestor do Museu, o Café da Gente, e um estacionamento com mais de cem vagas, numa área que interliga a tradicional Praça Camerino ao Rio Sergipe.

O resultado final de todo esse processo de resgate histórico e arquitetônico resultou num complexo cultural que une passado, presente e futuro através de uma composição harmônica entre o antigo restaurado e reintegrado ao cenário urbano do Centro Histórico de Aracaju e o novo, marcado pela inserção de modernas estruturas metálicas e vidro.

O Museu da Gente Sergipana foi o projeto vencedor do Prêmio “O melhor da arquitetura 2012” na categoria Restauro. O prêmio é promovido pela Editora Abril, através da Revista Arquitetura e Construção.

Fonte: Museu da Gente Sergipana

Close