Criado em 2000, o Museu da Imagem e do Som do Amazonas foi instalado com tecnologia de ponta em parceria com empresas privadas e tem por objetivo pesquisar, coletar, conservar, divulgar e popularizar imagens, áudio e vídeo relativos à Amazônia. Seu acervo é de, aproximadamente, 245 mil peças.

Durante a programação da 12ª Primavera dos Museus, o MIS vai realizar, no dia 19, quarta-feira, das 9h às 11h, uma oficina de Robótica, com o objetivo de desenvolver o raciocínio lógico, tendo a capacidade de pensar e se expressar matematicamente, interpretar dados, resolvendo problemas e criando estratégias.

Todo mundo está convidado \o/

O Museu da Imagem e do Som do Amazonas está localizado na Praça Heliodoro Balbi, s/n – Centro. Telefone: (92) 3631-6047.

12ª Primavera dos Museus

Com o tema “Celebrando a Educação em Museus”, a 12ª Primavera dos Museus reúne 900 instituições somando mais de 2.787 eventos em todo o país até o dia 23 de setembro.

O objetivo é propor uma reflexão sobre uma das principais funções do museu: educar e contribuir no despertar de interesse para diferentes áreas do conhecimento, a vida em sociedade, a importância das memórias e o valor do patrimônio cultural musealizado.

Confira aqui o Guia da Programação completo.

O Museu do Palácio Rio Branco está com uma programação especial para a 12ª Primavera dos Museus, e convida o público para participar de diversas ações educativas.

A abertura oficial será realizada nesta terça-feira, 18, das 9h às 11h. A programação segue no mesmo dia com uma atividade voltada para a divulgação das atividades da 12ª Primavera dos Museus, das 14h às 17h, na Praça da Revolução e Biblioteca Pública, Avenida Getúlio Vargas – Centro.

No dia 20, quinta-feira, será realizada uma atividade recreativa na Praça dos Seringueiros, localizada no entorno do espaço histórico, das 8h às 10h. Já na parte da tarde, a ação será realizada das 15h às 17h.

Encerrando a programação, no dia 21, das 8h às 17h, será realizada uma visita especial ao Museu a alunos de escolas públicas.

O Museu do Palácio Rio Branco está localizado na Rua Arlindo Porto Leal, s/n, Praça Eurico Dutra, centro. Telefones: (68) 3215-2800 (68) 9961-0224.

O Museu da Inconfidência sediará, de 18 a 21 de setembro, o 1º Seminário de Educação em Museus de Ouro Preto. O evento vai reunir diversos profissionais para debaterem questões e desafios sobre o tema.

A programação terá apresentações das ações educativas dos museus de Ouro Preto e de Minas Gerais; e lançamento do Caderno da Política Nacional de Educação Museal (PNEM).

Também em Minas Gerais, o Museu Regional de São Joao Del Rei nos dias 17 e 18 promove o I Seminário de Educação Museal da Rede de Educadores de Museus Campos das Vertentes.

12ª Primavera dos Museus

Com o tema “Celebrando a Educação em Museus”, a 12ª Primavera dos Museus reúne 900 instituições somando mais de 2.787 eventos em todo o país até o dia 23 de setembro.

O objetivo é propor uma reflexão sobre uma das principais funções do museu: educar e contribuir no despertar de interesse para diferentes áreas do conhecimento, a vida em sociedade, a importância das memórias e o valor do patrimônio cultural musealizado.

Confira aqui o Guia da Programação completo.

Dentro da agenda da 12ª Primavera os Museus, nesta segunda-feira, 17/9, o Museu Histórico Nacional realizará as oficinas “A aplicabilidade da Política Nacional de Educação Museal” e “Baú da História da Educação Museal” para profissionais da área, demonstrando a aplicabilidade dos princípios e diretrizes da PNEM (Política Nacional de Educação Museal).

E no Museu da República será realizado o Seminário A função educacional dos museus 60. O objetivo é avaliar e discutir sobre o Seminário Regional da Unesco que ocorreu em 1958 no RJ e quais serão os desafios nos próximos 60 anos para educação museal.

12ª Primavera dos Museus

Com o tema “Celebrando a Educação em Museus”, a 12ª Primavera dos Museus reúne 900 instituições somando mais de 2.787 eventos em todo o país até o dia 23 de setembro.

O objetivo é propor uma reflexão sobre uma das principais funções do museu: educar e contribuir no despertar de interesse para diferentes áreas do conhecimento, a vida em sociedade, a importância das memórias e o valor do patrimônio cultural musealizado.

Confira aqui o Guia da Programação completo.

Com o tema “Celebrando a Educação em Museus”, tem início nesta segunda, 17 de setembro, a 12ª Primavera dos Museus. Ao todo, 900 instituições participarão do evento, somando mais de 2.787 eventos em todo o país até o dia 23 de setembro.

O objetivo é propor uma reflexão sobre uma das principais funções do museu: educar e contribuir no despertar de interesse para diferentes áreas do conhecimento, a vida em sociedade, a importância das memórias e o valor do patrimônio cultural musealizado.

Como parte da programação, será realizado o lançamento e a divulgação do Caderno da Política Nacional de Educação Museal – PNEM no Museu Casa Histórica de Alcântara (MA), no Museu Vitor Meirelles (SC) e no Museu Missões (RS). E em Recife, o Museu da Abolição, em parceria com o Paço do Frevo e Museu de Arte Moderna Aluísio Magalhães, realizará o Seminário de Educação Museal: das incertezas, os futuros.

Confira aqui o Guia da Programação completo.

O Museu Paranaense convida o público para a abertura da exposição Belas Artes 70 anos: Ensinando e Produzindo Arte, nesta sexta-feira, 14 de setembro, a partir das 17h30, com entrada gratuita.
A mostra contempla objetos históricos e artísticos, além de obras de arte da Escola de Música e Belas Artes do Paraná (Embap), mais conhecida pelos curitibanos como Belas Artes. A entrada é gratuita

A instituição pública de ensino superior, que faz parte da Universidade Estadual do Paraná, é especializada na formação de músicos e artistas visuais.

Em 2018, a Embap completou sete décadas e escolheu o Museu Paranaense para mostrar ao público um pouco da sua história e trajetória, apresentando as diversas fases e excelência dos profissionais que se formaram na instituição e atuam em diferentes esferas da arte. A exposição fica em cartaz até 11 de novembro.

Museu Paranaense
Rua Kellers, 289, São Francisco – Curitiba
Terça a sexta-feira, das 9h às 18h
Sábados, domingos e feriados, das 10h às 16h
(41) 3304-3300 | www.museuparanaense.pr.gov.br

Fonte: SEEC

A Galeria de Arte do Templo da Boa Vontade (TBV) recebe, neste mês, a mostra “Cerâmica em harmonia com o Cerrado”, de Honjo. Com técnicas nipônicas de confecção da cerâmica, o artista japonês apresenta o resultado de seus trabalhos, que usam, como matéria-prima, terracota, grés e porcelana, tendo como temática a sincronia entre a cerâmica e os troncos de árvores do cerrado, bioma típico da capital federal, onde o artista vive desde 2012.

Nascido em Kagoshima, Honjo mistura, em suas obras, óxidos à argila queimada a altas temperaturas, técnica milenar que cria uma peça artesanal e única. O resultado é uma textura que lembra o ferro e recebe o nome de Wabi-sabi em seu país de origem. Estarão à disposição dos visitantes peças artísticas e objetos para o lar, como xícaras, bules, tigelas, vasos e outros itens.

Local: Galeria de Arte do Templo da Boa Vontade
Endereço: SGAS 915, lotes 75/76, Asa Sul – Brasília
Visitação: de 1º a 15 setembro
Horário: diariamente, inclusive sábados, domingos e feriados, das 8h às 20 horas
Entrada: Franca
Classificação: Livre
Informações: (61) 3114-1070/ 1023.

A pintura Independência ou Morte, também conhecida como Grito do Ipiranga, é a obra artística mais conhecida no Brasil, e que representa a proclamação da Independência do Brasil.

O artista Pedro Américo terminou de pintar o quadro em 1888 em Florença, na Itália (66 anos após a independência ser proclamada). Foi a Família Real que encomendou a obra, pois ela investia na construção do Museu do Ipiranga (atual Museu Paulista). A ideia da obra era ressaltar o poder monárquico do recém-instaurado império.A tela foi encomendada pela família real para registrar o momento da independência do Brasil ou Grito do Ipiranga.

A obra é visitada anualmente por 350 mil pessoas, de acordo com informações do Museu do Ipiranga. Atualmente, ele encontra-se fechado para reformas, mas você pode ver aqui galeria de fotos com os principais destaques do acervo e também acompanhar o episódio especial que fizemos no Museu do Ipiranga (Museu Paulista), em São Paulo/SP.

Em comemoração ao Dia da Independência do Brasil, nos dias 7 e 8 de setembro, o Sesc e a USP, ocupam o Parque da Independência, em frente ao Museu do Ipiranga. A programação conta com música, teatro itinerante, circo, dança, intervenções e performances.

Você não pode perder! O Parque da Independência está localizado na Avenida Nazaré, s/n – Ipiranga. São Paulo/SP.

 De 4 de setembro a 16 de dezembro, o MAM e o MAC USP convidam o público para a exposição MAM 70, que  proporciona ao público uma imersão na história do Museu de Arte Moderna de São Paulo.

A mostra comemora os 70 anos do museu e reúne obras, artistas e ações pioneiras que marcaram a trajetória da instituição. A entrada é gratuita.

O acervo do MAM conta com mais de 5 mil peças, a maioria produzida por artistas brasileiros ativos da década de 1960. Mantém o Jardim de Esculturas, um espaço de 6m2 projetado por Roberto Burle Marx, onde são expostas obras do acervo a céu aberto. Possui uma das maiores bibliotecas especializadas em arte da cidade de São Paulo, com mais de 60 mil volumes, além de um setor de publicações próprias, responsável pela edição de catálogos e pela revista trimestral Moderno. Desde 1969 organiza a mostra bienal Panorama da Arte Atual Brasileira, uma das mais tradicionais exposições periódicas do país e importante ferramenta para a ampliação do acervo.

Vale muito a pena conhecer!

A exposição MAM 70 vai até 16 de setembro e está aberta de terça a domingo, das 10h às 17h30.
MAM – Museu de Arte Moderna de São Paulo, Parque do Ibirapuera – Av. Pedro Álvares Cabral, s/n, Portão 3.
Ingressos: R$7 (inteira). Grátis aos sábados.

Tânia Rêgo/Agência Brasil/Agência Brasil

O Museu Nacional, o mais antigo do Brasil, foi atingido por um incêndio de grandes proporções na noite deste domingo, dia 02. Os bombeiros chegaram ao local e iniciaram os trabalhos. Porém, o local foi totalmente dominado pelo fogo. Ainda não se sabe a origem do incêndio e se há algo que possa ser salvo do acervo.

Criado por Dom João VI, o museu completou no mês de junho 200 anos e abriga em seu acervo mais de 20 milhões de itens, entre eles alguns dos mais relevantes registros da memória brasileira no campo das ciências naturais e antropológicas, como o fóssil humano mais antigo já encontrado no país, batizada de “Luzia”, que faz parte da coleção de Antropologia Biológica.

Desde 1892, o museu ocupa um prédio histórico, o palácio de São Cristóvão, que foi doado por um comerciante ao príncipe regente D. João em 1808 e que depois tornou-se a residência oficial da família real no Brasil entre 1816 e 1821.

O Conhecendo Museus lamenta o ocorrido e a perda de uma coleção tão rica que conta a nossa história.

A Fundação Ema Klabin vai promover, neste sábado, dia 1º/09, um encontro com a historiadora e professora Tania De Luca para falar sobre o tema “Mulheres em (re) vista”, com o objetivo de fornecer uma visão panorâmica da imprensa feminina no Brasil, desde as primeiras edições.

Este tipo de publicação, dirigida ao público feminino, mas nem sempre feita por mulheres, constitui-se num segmento bastante lucrativo dos impressos periódicos. Desempenharam papel relevante na difusão de modelos, valores, costumes e hábitos sociais, o que torna esta documentação uma fonte das mais relevantes para apreender o imaginário sobre o feminino e suas transformações ao longo do tempo.

Programação do mês de setembro

O encontro será realizado das 11h às 13h e custa R$ 40. Vagas limitadas. A Fundação Ema Klabin está localizada na Rua Portugal, 43 – Jardim Europa. São Paulo/SP.

Close